Intensos Animais Imperceptíveis

by Digital Ameríndio (American Bigfoot) & Mouse Mouse Joe

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.
    Purchasable with gift card

      name your price

     

1.
2.
3.
4.
5.
6.
05:09
7.
8.
9.
03:38
10.
05:22

about

primeiro álbum lançado originalmente em 2013 pela Cloud Chapell.

Digital Ameríndio é:
Sandro Rodrigues (voz e guitarra)
Pedro Bonifrate (guitarra e voz)
Lois Lancaster (baixo)
Robson Riva (bateria)
Gabriel Ares (teclados)

mmrecords.com.br/digital-amerindio

"Intensos Animais Imperceptíveis" foi lançado originalmente pelo selo paulista Cloud Chapel, em maio de 2013, é uma compilação de canções sobre potências perturbadoras na música e na vida.

A proposta sonora é tornar audível a diluição de si em devires rumo ao imperceptível. Para tanto, as canções afirmam a potência do esquecimento, enquanto exibem como fio condutor as aventuras e desventuras de um ser humano, estrelando uma sinistra tragicomédia existencialista, tensamente apimentada pela busca incessante de um deliriuns pharmakons que o ajude a superar a verdade do sofrimento.

[ENG]
This album was originally released by Cloud Chapel in May 2013, and it is a compilation of songs about disturbing powers in music and life.

The proposal is to make audible the dilution of yourself into the upcoming, towards the imperceptible.

To do so, songs strength the power of forgetfulness, while exhibiting as a guiding thread the adventures and misadventures of a human being, starring a sinister existentialist tragicomedy, tenuously spiced by the incessant search for a deliriums "pharmakons" that help him overcome the truth of suffering.

credits

released October 25, 2018

license

all rights reserved

tags

about

midsummer madness London, UK

brazilian independent music since 1989

contact / help

Contact midsummer madness

Streaming and
Download help

Shipping and returns

Redeem code

Track Name: Recriando o Princípio Criador das Coisas Criadas
Flutuando em trens num quadro celestial, refletido no gás das névoas de Freon.

Observando ao longe a aurora de neon, se esfalfando em meneios orbitais.

Entretidos no espaço instrumental... Recolonizando a Terra com os pedais...

Semeando estroboscópios pra ceifar e implantar na consciência de geral.

A sensação de uma organela social, exportando as maravilhas nacionais, inflama o corpo e as memórias de Crayon. Lembre o sonho como um blue de carnaval, absolvido na expansão do plano astral...
Track Name: Arlequim Sobrevoando a Montanha Subterrânea
Oh, Sombra!, fui teu servo e é tão ruim rememorar o breu de tal falência em que caí sem perceber. Revejo-te nas manchas que alimentam um grande horror e nas perdas que lamento: olhar, calor, sorriso e cor.

Oh, Culpa!, és tão cruel que não consigo esquecer. O fio se partiu, eu já não sei como escapar. E, cego, conto as pedras que me atingem em meu torpor, enumerando inglórias de uma vida sem valor.

Mas trago mais que o caos, a lama e os dramas frouxos de um bar sem fim, na dor que a luz projeta em meu pescoço e faz voltar.

Oh, Drama!, tão repleto, espero sua diluição. Apronta tua partida pra que reste algo a curtir. Que o estrago não cabido neste instante aqui, tão louco, me lance em outros mares, pois doído eu piro e paro.
Track Name: Lombroso (ou a Verdadeira Raspa do Juá)
A rapa do juá me deixou lombroso...
A rapa do juá me deixou lesado...
A rapa do juá me deixou grilado...
A rapa do juá me deixou lombroso...
A rapa do juá me deixou insano...
A rapa do juá me deixou revolto...
A rapa do juá me deixou cansado...
A rapa do juá me deixou lombrado...
A rapa do juá me deixou sequelado...
A rapa do juá me deixou no osso...
A rapa do juá me deixou tão moço...
Track Name: Vim, Mas Não Voltei
Vim, mas não voltei
Tchau!, estou agora aqui tão bem.
Tu me não tens, mas sinto ter sido assim...
Track Name: Salvia Divinorum
Misturar impressões, se espalhar, se dividir. Mergulhar na dispersão, se estranhar e diluir... Transpirar a migração, borbulhar, se distrair. Deslizar nas vibrações, gargalhar, se reunir...
Track Name: Uirapuru
Ele quis assoviar pra sua Andorinha, mas sua língua virou flor de tamarindeiro. Inibido de contar o que ouviu da Orquídea, ficou triste o Uirapuru, sem voltar pro ninho...

Santa Laranja, refletindo as doloridas penas, fez de um hábil sabiá o trovador da selva. Voa chorando, Uirapuru, pela fina flor pequena. Vai, que o esperto Sabiá, dos teus frutos colherá.
Track Name: Janela (part. Chinese Cookie Poets)
:(

A luz, quando saiu da tela da tevê, estava ofuscante que eu nem pude ouvir você sair de casa pra viver... Mas a tela apagou.

:/ Saí, pra procurar vontade de sorrir, mas quando eu vi você de novo aquele bar me fez cair na pilha de esquecer... Sai!, maldita, esta dor!

:\ Se um dia eu acordar e, enquanto a nuvem cai, notar que aquele Sol tampouco que me atrai, então, o que fazer se essa janela ri pra mim?

:)
Track Name: Theophilus Carter
Eis que a jovem travou o ácido cachimbo chulo. Foi de volta pra fumaça, com seu giro fulo. Coube ao trapo do meu maço um maçarico em lume. Vi na hora um mequetrefe, cheio de queixume.

Notei então que tanta afobação deixa aquela guria aqui, do outro lado, meio de saco cheio de nada e, daí, parei pra ouvir...

Theophilus Carter, acho que você poderia aproveitar melhor o seu tempo.

No bom sentido, no consenso...
– Mas qual?! Mas qual?!

Vi na sombra em pleno ar um velho mundo escuro, esqueceram de apagar a placa “Submundo” Ai, meu Deus, que gente louca! Não tem vinho aqui… e eu nem sei escrever “nunca” de ponta cabeça...

Desde então, do fim da amolação daquela enxerida de cabelo desgrenhado, que achou o meu relógio engraçado, eu saí. Cansei de fumar...
Track Name: Cyber
Quer saber quem controla suas pupilas?
Quer saber quem controla suas retinas?
Quer saber quem controla suas rotinas?
Quer saber quem controla suas notícias?
Quer saber quem controla sua barriga?
Quer saber quem controla suas lombrigas?
Track Name: Introdução
Até a lua, no céu, minguante, via em teus olhos brilhantes nova...
Na dança, a nuca, o abraço, a cantoria, o teu nome eu sabia.

Ia embora e, à breve despedida, num certo carinho tocar teu jeito...
Aquela nua que o Sol brilhante mira em meus olhos e, junto, lança aos lábios, dedos, traços de euforia, exigindo um lindo dia... Não demora e a breve adormecida desperta em sorriso ao me abrir seu leito…

midsummer madness recommends:

If you like Intensos Animais Imperceptíveis, you may also like: